Os 25 anos do BMW Z3

O Z3 foi o primeiro BMW a ser produzido em uma fábrica do grupo BMW fora da Alemanha. Depois de quase sete anos, é substituído pelo BMW Z4, maior e muito mais evoluído que o Z3, mas que não conseguiu conquistar seu público da mesma forma que seu antecessor. Hoje, o BMW Z3 é um dos modelos contemporâneos mais cultuados da marca. Foram produzidas 297.087 unidades.

Eu tive o privilégio de participar do lançamento do BMW Z3, naquela cidade no interior dos Estados Unidos, com direito a uma viagem pela região, onde, inclusive, pude conhecer a famosa mansão Biltmore, construída em 1889 por George Vanderbilt.

A carroceria do BMW Z3 foi projetada por Joji Nagashima, que também criou o BMW Série 5 e o Série 3. O BMW Z3 continuou a fórmula característica de um roadster: capô longo, traseira curta, posição de direção mais recuada, quase no eixo traseiro.

O BMW Z3 foi um sucessor digno, em tamanho compacto, do lendário BMW 507 dos anos 1950. Suas linhas combinam perfeitamente formas modernas e ousadas com detalhes clássicos como as guelras laterais. Hoje, o estilo do BMW Z3 é considerado um clássico atemporal e o modelo possui fã-clubes espalhados em todo o mundo.

Quando o BMW Z3 foi lançado, os motores disponíveis eram os 1.9 de quatro cilindros, um de 115 cv e outro similar de 143 cv. Em 1997, chegou o tão aguardado motor 2.8 de seis cilindros e 193 cv. Depois desse, veio o supra-sumo dos roadsteres, o BMW Z3 Roadster M com o motor 3.2 de 321 cv. Com este motor, igual ao do BMW M3, o BMW Z3 tornou-se um esportivo de alto desempenho. Era e ainda é considerado uma verdadeira "cadeira elétrica", uma vez que, sem qualquer recurso eletrônico de controle de tração e estabilidade, e com tanta potência, era muito fácil se perder em uma curva mal calculada.

Em 1999, quase 170 mil unidades do BMW Z3 já haviam sido vendidas e o modelo foi ligeiramente atualizado com uma traseira mais musculosa, novas lanternas traseiras e um farol com aro cromado que lhe conferia uma nova aparência. Mecanicamente também surgiram novidades como o motor 1.9 de 117 cv, ou o seis cilindros 2.0 de 150 cv. Além disso, chegou um 2.2 de 170 cv de seis cilindros, enquanto o topo da gama foi ocupado pelo 231 cv de 3.0 e seis cilindros, com versão M de 325 cv.

Na história do BMW Z3, é necessário dedicar um capítulo especial à versão cupê, lançada em 1998. Sua traseira, muito especial, tem precedente na BMW com o lendário BMW 328 Sport Coupé com o qual Huschke van Hanstein e Walter Bäumer ganharam a tradicional corrida Mille Miglia em 1940.

Os BMW Z3 cupê eram oferecidos apenas com o motor de seis cilindros: o BMW Z3 Coupé 2.8i com 193 cv, o 3.0i com 231 cv e as versões M com 321 cv e 325 cv. Como curiosidade, o BMW Z3 M Coupé foi o Safety Car usado no MotoGP durante a temporada de 2000.

Com esta versão de carroceria do roadster, há um modelo único muito especial, o BMW Z3 M V12. Esta unidade com motor V12 de 326 cv foi construída para testar a capacidade do compartimento do motor do BMW Z3.

A última unidade a ser fabricada na planta de Spartanburg saiu da linha de produção em 28 de junho de 2002 e está em exibição no Museu da BMW. Sem dúvida, uma homenagem a um Roadster que ofereceu aos seus condutores todo o prazer de dirigir da BMW. Ao seu lado está, também, o BMW Z3 que Pierce Borsnan usou no fil a 007 contra GoldenEye, em novembro de 1995.

 

 

 

BMW Z3 cupê

Mais posts relacionados

Um primeiro dia frio e molhado em Suzuka

O primeiro dia do GP do Japão teve condições frio e chuva

Royal Enfield amplia opções de cores da Himalayan

Três novas cores já estão disponíveis em toda a rede de concessionárias da marca sem mudança de preço

BYD Dolphin Mini é apresentado em São Paulo

Modelo pretende seguir os passos do "irmão mais velho" BYD Dolphin

Citroën 2 CV comemora seu 75º aniversário

Citroën 2 CV teve 5.114.969 unidades produzidas entre 1949 e 1990

Este Ford Modelo 18 de 1936 será o destaque do 30º Encontro Sul-Brasileiro de Veículos Antigos

O encontro ocorrerá nos dias 17, 18 e 19 de novembro nos pavilhões da Fundaparque, em Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha

Publicidade