Porsche Macan

O mais novo membro da família Porsche não é um esportivo. Ou melhor, é, sim, um esportivo. Por que a dúvida? É que se alguma vez podemos definir com exatidão um veículo como SUV – Sport Utility Vehicle, ou seja, um utilitário esportivo, é este o caso. Não poderia ser diferente quando o nome Porsche está envolvido.

Na definição oficial do novo carro, a Porsche menciona o termo “versátil”. O Porsche Macan é mesmo versátil: roda com extrema tranquilidade no asfalto e na terra, assim como confortável ou esportivamente. O termo “compacto” também é utilizado pela Porsche: para suas virtudes, pode ser assim considerado, mesmo levando em conta seus 2,7 metros de comprimento e seus quase 2 mil kg de peso. E a última característica citada pelo fabricante: “esportivo”. Foi para descobrir se isso é válido que rodamos com o novo Porsche Macan Turbo, que começou a ser entregue a seus novos donos no Brasil no final do mês passado.

Comparado ao já conhecido SUV full-size Cayenne, o Macan é mesmo compacto e ágil. Força não é um parâmetro tão significativo neste caso, mas sim a tecnologia aplicada ao veículo. Em duas versões, ambas equipadas com motores V6 biturbo e câmbio automatizado de dupla embreagem de 7 marchas (PDK), são também duas as configurações de equipamentos de série, dois valores distintos de potência e, logicamente dois preços. O Porsche Macan S, que com seu V6 biturbo de 2.997 cm3 oferece potência de 340 cv e torque de 47 kgfm, tem preço de R$ 399.000, enquanto que o Porsche Macan Turbo, com cilindrada de 3.604 cm3, potência de 400 cv e torque de 56 kgfm, custa um pouco mais: R$ 499.000.

De acordo com as especificações do fabricante, o Macan S acelera de zero a 100 km/h em 5s4 e o Turbo em 4s8. Com a função Launch Control acionada (faz parte do sistema Sport Chrono, equipamento de série no Turbo e opcional para o S), os tempos de aceleração são reduzidos em 0s2. Entre outras funções, o Sport Chrono inclui em um cronômetro instalado no painel e um sistema de controle de voltas em circuitos fechados, fornecendo informações sobre distância percorrida e tempos de voltas. Viu, quem pode dizer que o Macan não é mesmo um esportivo?

Mais caro que o próprio Porsche Cayenne, SUV situado em uma categoria superior ao do Macan, em termos de tamanho (o Macan compartilha a plataforma do Audi Q5, enquanto o Cayene tem a plataforma do Q7), os argumentos do novo carro para essa aparente incongruência é mesmo a esportividade. O Porsche Macan, apesar de suas características de uso misto, é mais baixo que seus concorrentes e, sem qualquer sombra de dúvida, bem mais esportivo que qualquer outro. Até os bancos, que nessa categoria de veículos orgulhosamente são colocados em uma posição superior à dos demais, justamente para que seus usuários olhem os outros “de cima”, no macan eles são mais baixos. Esportividade...

Com todos esses atributos, em particular o preço, é redundante descrever um a um todos os equipamentos presentes nas duas versões do Macan. Ele tem praticamente tudo. Dizer também que luxo e conforto são o ponto alto em seu interior seria desnecessário. Da visão do motorista, no entanto (ou seria mais adequado dizer “piloto”?), o Porsche Macan oferece exatamente aquilo que um admirador da marca deseja. Mesmo que a intenção, como esse novo modelo, seja conquistar novos adeptos, dentre aqueles que realmente não se importam que um utilitário esportivo “manche” o bom nome que a Porsche conquistou em 50 anos com o 911. A Porsche espera que o Macan seja seu modelo mais vendido no Brasil. Com folga.

O habitáculo do Macan é perfeito para as duas pessoas na dianteira, melhor ainda para quem vai do lado esquerdo. E a quantidade de controles no console central realmente mostra que as possibilidades de diversão são muitas. Para quem está do lado de fora (ah, aquela pontinha de inveja!), o visual do Macan também é, do mesmo jeito, imponente. Inspirado no maior sonho mecânico do momento, o Porsche 918 Spyder, dos faróis às lanternas traseiras, para distinguir o S do Turbo pode-se olhar para as rodas, de 20 polegadas no primeiro e 21 polegadas no segundo, ou então, para ser mais certeiro, para as ponteiras dos escapamentos, na traseira: redondas no S e quadradas no Turbo.

Com tanta esportividade para um SUV, nem parece que o macan também está apto para o fora de estrada. Pelo menos é o que indica o modo off-road, acionado por um dos botões no console. Até 80 km/h, esse sistema insere uma programação específica, em especial quanto ao controle eletrônico da tração integral, com rotações mais baixas para a troca de marchas e, o mais interessante, eleva em 40 mm a altura normal da suspensão, possibilitando um vão livre de até 230 mm. Ótima notícia para quem pretende fazer ralis ou excursões pelas trilhas com o Macan. Alguém?

Mais posts relacionados

Um primeiro dia frio e molhado em Suzuka

O primeiro dia do GP do Japão teve condições frio e chuva

Royal Enfield amplia opções de cores da Himalayan

Três novas cores já estão disponíveis em toda a rede de concessionárias da marca sem mudança de preço

BYD Dolphin Mini é apresentado em São Paulo

Modelo pretende seguir os passos do "irmão mais velho" BYD Dolphin

Citroën 2 CV comemora seu 75º aniversário

Citroën 2 CV teve 5.114.969 unidades produzidas entre 1949 e 1990

Este Ford Modelo 18 de 1936 será o destaque do 30º Encontro Sul-Brasileiro de Veículos Antigos

O encontro ocorrerá nos dias 17, 18 e 19 de novembro nos pavilhões da Fundaparque, em Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha

Publicidade