Conheça a nova Honda NC 750X

Várias são as qualidades que uma boa motocicleta pode ter. Para aqueles que procuram desempenho radical, as superesportivas são as ideais, porém com a contrapartida de oferecerem pouco conforto para o piloto, em quaisquer forma de utilização. As naked urbanas são bem mais versáteis e se prestam bem para o uso no dia a dia, só que sem aptidão para um astrada não asfaltada. Já as motocicletas de uso misto se adaptam a qualquer tipo de terreno, até oferecendo mais conforto de pilotagem no uso urbano, contudo ainda podem ter alguma restrição na altura do banco ou na robustez das suspensões. É aí que entra um dos mais recentes estilos para as motocicletas, as crossoveres. Crossover, como o próprio nome em inglês a define, é a motocicleta que extrai o melhor de cada estilo em prol do conforto de pilotagem, da versatilidade para uso urbano e da polivalência em relação a pisos não tão lisos. Há dois anos a Honda lançou a NC 700X, uma crossover fácil de ser pilotada e extremamente dócil aos comandos. Muito atenta às observações feitas pela imprensa especializada e pelos próprios usuários, a Honda reformulou o modelo e apresenta agora a NC 750X.
Visualmente muito parecida com a versão anterior, a Honda NC 750X pode ser diferenciada facilmente pelo motor pintado de preto (antes era cinza) e por detalhes mais sutis, como o banco com revestimento mais rugoso e os pneus, que mudaram do Continental para o Pirelli.
As diferenças mecânicas são mais fáceis de serem compreendidas, quando analisadas friamente pelos números envolvidos, porém mais sutis de serem notadas quando se está ao comando da nova Honda NC 750X.
A maior cilindrada, que passou de 670 cm3 para 745 cm3, foi obtida pelo aumento do diâmetro dos pistões de 73 mm para 77 mm. O curso de 80 mm foi mantido. Com isso, a potência aumentou para 54,8 cv a 6.250 rpm (antes era 52,5 cv à mesma rotação) e o torque passou dos 6,4 kgfm para 6,94 kgfm, nos dois casos à rotação de 4,750 rpm.
O aumento de cilindrada de cerca de 11% foi responsável por 4,4% a mais na potência e 8% no torque, este último o mais notado na pilotagem, graças à sua curva com valores mais acentuados na faixa das 2.000 rpm. De acordo com a Honda, esses novos valores permitiram uma melhora de cerca de 10% no desempenho e até 6% no consumo de combustível. A velocidade máxima passou de 167,1 km/h para 174,7 km/h, uma melhora de quase 5%. Além dessas alterações, o motor da nova NC 750 ganhou mais um eixo contrabalanceiro, o que tornou o bicilíndrico refrigerado a água ainda mais suave.
Visualmente, pouca coisa mudou na Honda NC. O motor agora é cinza e o painel de instrumentos digital ganhou novas funções, como o visualizador de marcha engatada e o computador de bordo com indicação de consumo instantâneo, consumo médio e quantidade de combustível utilizado. O banco tem nova textura, para evitar que o garupa deslize em acelerações e frenagens mais acentuadas.
Rodando com a nova Honda NC 750X, a melhora no torque em baixas rotações é mais facilmente notada do que o aumento da potência máxima, o que apenas poderia ser notada em pilotagem mais agressiva. E esse não é o objetivo dessa motocicleta, que tem um motor vigoroso porém de baixa rotação, o que originou algumas reclamações na versão de 670 cm3 e foi resolvido no de 745 cm3. É que o corte eletrônico de rotações, que acontecia muito cedo, bem próximo da rotação de potência máxima (6.250 rpm) agora entra em funcionamento 400 rpm mais acima, o que praticamente elimina a possibilidade do incômodo corte de aceleração quando se passa muito da rotação ideal de funcionamento.
O novo pneu Pirelli, além da óbvia diferença no desenho da banda de rodagem, tem formato mais acentuado no corte tranversal, o que facilita muito as manobras em curvas em baixas velocidades. Isso ficou bem perceptível.
A Honda NC 750X é produzida na fábrica de Manaus, AM, enquanto que sua versão custom, a CTX 700N, continua a ser importada com o motor antigo. A razão de a CTX não ganhar o motor novo é que, como é feita para o mercado global, deve se adaptar às legislações locais. No Japão, por exemplo, para passar de uma 700 cm3 para uma 750 cm3, o motociclista deve fazer um exame e passar para uma nova categoria de habilitação. Já na Europa, onda a CTX também é vendida, passar dos 700 cm3 para os 750 cm3 significa passar para uma nova faixa de tributação, o que elevaria muito o seu preço final.
Disponível na rede da marca aqui no Brasil a partir da segunda metade de fevereiro, a Honda NC 750X custará R$ 28.890 na versão normal e R$ 31,100 com ABS. A cor branca continua e foi adicionada a nova cor preta na família NC. Não haverá mais a NC vermelha.

Mais posts relacionados

A volta da Brough Superior

O lançamento da AMB 001 Pro da Aston Martin e da Brough Superior foi realizado no EICMA Milão Moto Show. A Supermoto exclusiva de rua segue a trilha de sucesso da primeira moto da Aston Martin, a AMB 001. A potência foi ampliada em 25% e chegou a 228 cv (225 hp) na comparação com a antecessora. A Produção é limitada a apenas 88 unidades. No Brasil, mediante encomenda de cliente. A inspiração da AMB 001 Pro veio do hipercarro Aston Martin Valkyrie AMR Pro com o objetivo de atrair aqueles em busca das emoções do motociclismo.

BMW K 1600 Bagger disponível para pré-venda

A nova BMW K 1600 Bagger já está disponível para pré-venda no Brasil, importada de Berlim, na Alemanha, com preços entre R$ 306.500 e R$ 326.500

Descoberta histórica do protótipo de uma motocicleta Triumph de 1901

A Triumph anuncia um incrível achado histórico, descoberto e restaurado pelo principal colecionador vintage da Triumph, Dick Shepherd

Royal Enfield apresenta novas cores da Twins 650

Interceptor e Continental GT em 12 novas combinações chegam às concessionárias da marca

Pirelli apresenta novo pneu para motos esportivas

O pneu Diablo Rosso IV representa a quarta geração da família Diablo Rosso

Publicidade